Páginas

quarta-feira, 23 de agosto de 2017

Valeu (só) pelo resultado















Valeu pelo empate em Minas Gerais no 0 a 0 diante do América MG. Resultado importante, conquistado com toda a dificuldade. O problema foi a atuação do Criciúma, que esteve  sob o dominio do adversário. Winck surpreendeu ao mudar o esquema, trouxe em João Henrique uma novidade, talvez imaginando que com ele, poderia buscar uma jogada ofensiva, oque acabou nao acontecendo. O jogo esteve  sob risco o tempo todo. Parecia que os mineiros marcariam a qualquer momento. Na proposta do técnico, o time foi perfeito, na medida que jogou para nao perder e nao perdeu. Mas nao pode ficar o tempo todo atrás, nao achar uma bola e na verdade nao achou em momento algum do jogo uma possibilidade de chegar ao gol do João Ricardo. Muito pouco em termos de produtividade, mas no final da historia, o ponto preciso que vem na bagagem, que pode representar muito la na frente. 

Foto: colaboração Diario Catarinense

sexta-feira, 18 de agosto de 2017

Prejuízo
















Mais uma vez, a exemplo do que já aconteceu com o Brasil, o Criciúma nao fez um bom jogo diante do Oeste, no empate em 1 a 1, que frustrou o torcedor do Tigre, que já anda com um pé na frente e outro atras. Acredita pero no mucho, em relação ao acesso. Se levarmos em conta que diante de times que irão brigar pra não cair, perde cinco de seis pontos disputados, não da pra tentar colocar na cabeça do torcedor que a Série A é uma realidade. Técnico Winck terá, acredito, que rever seus conceitos na formação tática. Com tres atacantes nao tem funcionado, e talves seja o momento de mudar. Penso que uma compactação no meio de campo poderia ser mais produtiva para o time.  Mas vamos e viemos: tem que fazer rapidinho  os 45 pra fugir do risco e depois oque vier é lucro. Com essa bola, esquece série A.



Foto: colaboração DC

sexta-feira, 4 de agosto de 2017

Fora dos planos
















Um resultado completamente fora dos planos, o 1 x 2 para o Brasil de Pelotas nesta sexta no HH. No primeiro tempo, o Criciuma empilhou oportunidades, teve duas bolas na trave e nao teve a capacidade de matar no jogo. Isso mesmo. No primeiro tempo teve todas as chances para matar o jogo mas quem foi cirúrgico foi o Brasil, primeiro com gol do Lincom, belo gol, e do lateral Eder no segundo tempo. Bom, mas dai no segundo o time foi muito mal. As mudanças nao surtiram efeito, o ataque que foi bem no primeiro, desapareceu na etapa final. Fecha o turno com 26 pontos, mesma pontuação das 19 rodadas em 2016. O returno terá que ter uma melhor performance em relação ao primeiro. 10 jogos em casa, nao há garantia de 10 vitorias, ou seja, terá que ser melhor, buscar pelo menos 30 pontos, para chegar a 56  - talvez precise de mais de 10 vitorias - para brigar possivelmente pela terceira ou quarta vaga. Melhorar é preciso e essa recuperação precisa ser imediata, já contra o Santa Cruz.

Foto: colaboraçao Diario Catarinense

sexta-feira, 14 de julho de 2017

No Sufoco
















A Série B é assim. Dificuldade e mais dificuldades. A prova disso foi o jogo diante do Goias, onde o Criciúma venceu por 1 a 0, diante de um adversário com qualidade e que parou na noite inspirada do goleiro Luiz. A zaga foi bem, o meio nao fez um bom jogo e a bola nao chegou no ataque. No primeiro tempo foi mais dificil porque so conseguiu chegar  no gol do Goias a partir dos 35, criando oportunidades no final. Voltou melhor para o segundo tempo, chegou ao gol aos nove minutos e dai até o final foi no sufoco. Mas dorme na sétima posição, pode perder algumas mas o importante é estar no bolo como disse o técnico tricolor, olhando pra parte de cima na tabela. Agora é secar o Vila amanhã e tentar com um vitoria diante do Boa fora, beliscar finalmente uma vaga no G-4.


terça-feira, 11 de julho de 2017

Faltou inspiração
















Faltou inspiração ofensiva ao Criciúma no empate em 1 a 1 diante do Paysandu no Heriberto Hulse. O Criciúma nao conseguiu se impor diante de um adversário fechado e essa é uma dificuldade de quem joga em casa e não conseguiu um dispositivo para ta. Um sono no primeiro tempo, e no segundo um pouco mais mas na base da força, do esforço, sem qualidade ofensiva, sem nenhuma ousadia individual. Alisson Farias foi discreto na estréia e nao concordei com o Winck que acabou tirando Barreto e Dodi, este embora nao estando bem, é um jogador que tem qualidade de chegada a frente. Mas enfim, buscou o empate, mas há um prejuízo estabelecido, porque volta a tropeçar em casa. Empatar com o Vila, depois com o Inter ainda vai, mas o problema é nao vencer o Paysandu e ver o G-4 bem mais distante. Bom , mas sexta é logo alí, e com um adversário que talvez por ter um pouco mais de qualidade, jogue e deixe jogar. Aguardemos. Produção diante do Goiás terá que ser muito diferente da apresentada nesta noite.


sexta-feira, 30 de junho de 2017

Campanha de Série A















Uma vitória colocaria o Criciúma provisoriamente no G-4, mas o empate e o ponto conquistado fora de casa, aliado as vitorias em casa e vitoria fora, deixa o Tigre com campanha de G-4. Entao, se alguém tem que lamentar o empate em 0 a 0 é o Vila Nova. No primeiro tempo o Tigre começou a mil, depois o Vila equilibrou. No segundo tempo, Winck corrigiu especialmente a marcação, os goianos tiveram pouco espaço, e pelo segundo tempo, merecia uma sorte melhor. E teve ainda a bola no poste, do Lucao. Mas o empate fora de casa diante do bom time do Vila, pode ser considerado um bom resultado, pois se ganhar em casa e empatar fora, vai estar na Série A em 2018. Agora é encarar o Inter no Beira Rio. Promessa de um grande jogo  no sábado. O caminho do G-4 está traçado.

Foto: colaboração Joel Bernado/Radio Difusora AM 910

sábado, 24 de junho de 2017

Rumo ao G-4















Quem viu o início tropego do Criciúma, talvez naõ imaginasse essa metamorfose, essa transformação, a partir da chegada do técnico Winck. Daquele inicio preocupante, renasceu um novo Criciúma, que dos últimos 15 pontos ganhou 13, com 4 vitórias e um empate. É pontuação de G-4 e o caminho está sendo trilhado. Lucao mais uma vez mostrou que tem estrela num jogo que começou com muita dificuldade, com bola na trave e tudo, mas que começou a facilitar com a expulsão ingenua do lateral Cristovao. A partir daí, foi uma questao de tempo. De 15º para a 7ª posição e um ponto do G-4. Olhando definitivamente para a ponta de cima da tabela. Agora tem duas pedreiras fora de casa, mas o Londrina também era. Entao, é possivel sim pensar em quatro pontos nesses dois jogos. Mas da pra sonhar com seis até porque o Inter não vive um bom momento. Um novo Criciúma, um novo astral, e um time e um time encorpado, consistente. E com um artilheiro, que chegou, vestiu a camisa, e passou a fazer os gols, que faz o torcedor sonhar.

Foto: divulgação Criciúma E.C

terça-feira, 20 de junho de 2017

Um novo Criciúma















Após um inicio tropego, a mudança de técnico e uma nova fase do Criciúma no campeonato, É um novo time, uma nova postura, um time encorpado e que consegue passar confiança e jogar com confiança. Dos últimos 12 pontos, o Tigre ganhou 10, convenhamos, uma campanha de quem está olhando para o lado de cima da tabela. Aliás, são tres pontos que separam o Criciúma da pontuação de G-4. É uma nova fase, com Dodi em grande fase, Silvinho fazendo bem a função de finalizador, com o apoio do Lucao. E a zaga esta bem. Num todo, o time mostra equilíbrio. Agora é encarar o bom time do Paraná na sexta, para confirmar o crescimento. 

Foto: colaboração Henrique Campinha / Futura Pres

sexta-feira, 16 de junho de 2017

Um novo Criciúma















Eu poderia afirmar que é um novo Criciúma, após a vitória de 3 a 2 diante do Guarani. O Tigre mandou no jogo e só sofreu no final porque perdeu Barreto, e aí, o Bugre foi pra cima. Mas num todo o time foi bem e quando eu falo que é um novo Criciúma, falo de Lucão, de uma referencia, de uma jogada aérea, que o o time nao tinha. Pois tem, e nos pareceu na primeira impressão, com boa qualidade. A zaga foi bem, Dodi vem crescendo, e até o Silvinho se destacou.   Vitória sobre o CRB, empate com o Figueira, vitória sobre o Guarani. Nesse ritmo, ganhando em casa e empatando fora, é possivel sonhar com o acesso. Mas o time encorpou. Agora em Londrina, a oportunidade da afirmação. Bom momento. Sequencia  de resultados vai com certeza trazer o torcedor de volta pro HH.

Foto: colaboração Caio Marcelo/ Diário Catarinense

terça-feira, 13 de junho de 2017

Tentando entender
















Acredito que o torcedor do Criciúma ainda está tentando entender o desastre do Orlando Scarpeli, no empate de 2 a 2 na noite desta terça-feira, diante do Figueirense. Criciúma tinha o jogo sob controle até 35 do segundo tempo, quando permitiu o primeiro gol e tres minutos após, o segundo, numa desatenção total, falta incrível de concentração, porque aos 35 o jogo deveria terminar. Nao tem mais jogo. Penso que o técnico Winck poderia ter se precavido um pouco mais, sem no entanto abrir mão de chegar à frente, mas o 2 a 0 seria natural fechar o time, um pouco mais. Nao estava 1 a 0. Estava 2 a 0. Mas é bom lembrar que teve a chance de matar ao jogo com Fabinho Alves e nao aproveitou. Lembro o colega Adriano Cipriano da Difusora AM 910 que o Criciúma tomou nove gols no segundo tempo nos sete jogos. É algo pra analisar com cuidado e carinho. Parece que o time perde a força. Pra pensar na fila. Empate com sabor de derrota, gostinho amargo, e dois pontos importantes jogados no lixo. Agora la vem obrigação e mais que isso, necessidade de vencer o Guarani. Haja sufoco.


Foto: colaboração Diario Catarinense